Vancouver é uma cidade vibrante, com mil e uma atividades turísticas que agradam desde os amantes do ecoturismo àqueles que não abrem mão de luxo e conforto. Durante nossa temporada canadense fomos a Vancouver por duas vezes afinal, ela é inesgotável. E fazendo jus ao carinhoso apelido da cidade, Vanchuva para os brasileiros ou Raincouver para os canadenses, choveu todos os dias.  Atrapalhou um pouco nosso passeio, principalmente quando fomos visitar um dos cartões postais da cidade, o Stanley Park. Mas tudo bem: só nos deixou com mais vontade de voltar àquela espetacular cidade.

O QUE FAZER EM VANCOUVER?

Sempre que ficamos pouco tempo numa cidade optamos por fazer um tour naqueles ônibus hop-on hop-off sighseening. Acreditamos que assim temos uma noção geral da cidade e depois podemos voltar aos pontos de maior interesse para explorar melhor.

Primeiro dia: Stanley Park, Granville Island e World Science

Começamos o dia explorando o Stanley Park, o maior parque urbano do Canadá e o terceiro maior da América do Norte. Lá você terá uma bela vista da cidade e várias opções de lazer: caminhadas por trilhas bem sinalizadas entre gramados, jardins e floresta, alugar uma bike para explorar melhor toda a orla, curtir uma praia no verão, apreciar os totens e ainda visitar o Vancouver Aquarium, o maior do país.

Dali, fomos para o Granville Island. Caso você curta visitar mercados locais, aqui é o lugar. Famoso por sua culinária a preço justo merece uma parada para degustação de produtos locais, como as frutas vermelhas que nos deixaram com água na boca.

Como chovia muito, pegamos um aquabus (que estava incluso no ticket do ônibus hop on hop off) para o Science World que fica em False Creek. A chuva atrapalhou curtimos o visual dessa trajetória que é bem lindo. O museu da ciência é uma atração imperdível para quem está com crianças e quer dar uma pausa na maratona de passeios do dia. Com diversas atividades interativas e interessantes o local propicia bastante diversão para os  pequenos que ficam distraídos por muito tempo. Foi difícil tirá-las de lá. Indicamos essa atração aos amantes da ciência e para aqueles que estão com crianças. Caso seu tempo seja curto na cidade, há opções mais interessantes para conhecer.

Já no final do dia, pegamos novamente o ônibus e fomos até a Vancouver Urban Winery afinal, nunca deixamos para trás a possibilidade que conhecer uma Winery pelo caminho.  Com ambiente agradável e bons vinhos artesanais produzidos com uvas de British Columbia, trata-se de um misto de vinícola e restaurante onde são servidos vinhos de vinícolas parceiras, cervejas artesanais e petiscos. Fizemos a degustação de cinco vinhos tintos e recomendamos o local.

Bastante cansados mas com muita vontade de continuar explorando a cidade voltamos para o hotel para recarregar as energias e aproveitarmos a noite na cidade. O restaurante The Keg foi o escolhido da noite. Ficava bem pertinho do hotel e tinha o que procurávamos: steak! O ambiente, atendimento e comida são excelentes!Gostamos tanto do restaurante que na nossa segunda visita à cidade fomos lá novamente.

Segundo dia: Capilano Suspension Bridge, Grouse Mountain e Gastown

Após uma boa noite de sono, reiniciamos nosso tour pela cidade. Agora era hora de conhecer a tão famosa Capilano Suspension Bridge e a Grouse Mountain. Na porta do nosso hotel (Blue Horizon) havia um pequeno quiosque  que vendia tickets para várias atrações na cidade e lá mesmo compramos o ticket para a Capilano Suspension Bridge. Ao adquirir o ingresso, está incluso o free shuttle que, para nossa sorte, parava na porta do nosso hotel. Esse shuttle parte, de hora em hora, entre 09h:00 e 14:00, do Canada Place e passa pelos hotéis Blue Horizon, Hyatt Regency e Westin Bayshore.

A Capilano Bridge é uma das grandes atrações da cidade e você não pode deixar de visitá-la. Dá pra passar um bom tempo no parque que é maravilhoso, bem estruturado e com opções de trilhas, natureza exuberante com muitos esquilos, corujas e outros animais silvestres. A ponte suspensa é uma experiência bem diferente. Com 140 metros de comprimento e 70 metros acima do rio Capilano, tem um visual incrível e proporciona um bom friozinho na barriga passar por aquela ponte que balança, balança mas não cai!

IMG-0655
Atravessar a Capilano Suspension Bridge é pura diversão! Vai encarar?

Além da ponte suspensa há também o Cliffwalk, que é um percurso com passarelas estreitas fixadas nos paredões e rochedos, sendo que algumas balançam e outras são plataformas de vidro que te permitem ver a mata lá em baixo de seus pés. Pura diversão! Já na trilha de volta, aprecie os totens e jardins bem cuidados do local. E no final, surpresa!!! Você receberá um certificado de coragem por ter atravessado a ponte. As crianças amaram!

Saindo da Capilano Bridge é só atravessar a rua e aguardar no ponto logo em frente o ônibus 236 ( local) que te levará ,em poucos minutos, até a Grouse Mountain. A Grouse Mountain é uma estação de esqui no inverno e caso você a visite fora da temporada não se preocupe, ainda assim terá o que fazer por lá. Dá para fazer trilhas ou subir a montanha de gôndola. Há várias apresentações artísticas no local ( fique atento à programação disponível no site) e ainda restaurante com loja de souvenir e uma vista maravilhosa de Vancouver. As crianças gostaram mesmo foi de observar bem de pertinho os dois ursos que ficam em cativeiro lá no alto. Certamente é uma visita imperdível em qualquer estação do ano.

IMG-7103
Vista espetacular de Vancouver a partir do Grouse Moutain ( foto: Roberta Soares)

Terminamos o dia passeando pelo charmoso bairro  de Gastown. Com diversas lojinhas de souvenirs e restaurantes, o grande atrativo do bairro é o Steam Clock, relógio que funciona impulsionado pela força da fumaça. Construído em 1977 pelo canadense Raymond Saunders, a cada 15 minutos ele solta um leve sopro de fumaça e um assobio. Fica cheio de turistas ávidos pelo momento ideal para mais um click.

IMG-0571
Um passeio pelo charmoso bairro de Gastown não fica completo sem uma foto no famoso Steam Clock

Jantamos no The Old Spaghetti Factory, que é um restaurante com excelente custo benefício e espalhado por várias cidades do Canadá. As meninas são fãs do menu kids de lá.

Terceiro dia: FlyOver Canada e Top of Vancouver Revolving Restaurant

Nosso último dia em Vancouver foi dedicado a duas atrações que estávamos bem curiosos para conhecer: o FlyOver Canada e o Top Of Vancouver Revolving Restaurant.

IMG-0576
Um voo lindo e emocionante! Não pode faltar em sua viagem.

O Flyover Canada é uma atração que está localizado no Canada’s Place. Trata-se de uma espécie de simulador, bastante parecido com o Soaring do Epcot Center para quem conhece a Disney, no qual você ficará suspenso a uma certa distância do chão enquanto filmes em 2D e 3D são projetados na tela à sua frente. Você terá a nítida impressão que está num voo de asa delta sobre as estonteantes paisagens canadenses. Foi uma delícia!

Depois disso, passeamos um pouco pelo Canada’s Place, que é o porto de onde partem os cruzeiros para o Alasca e também abriga o Centro de Convenções de Vancouver. É bem gostoso passear por ali.

Continuamos o dia explorando mais um pouco de Gastown e suas lojinhas até finalizar nosso passeio com um jantar no restaurante giratório da cidade. A vista de lá é maravilhosa e, se você quer uma boa dica, chegue por volta das 17:00 hs (ou horário próximo ao anoitecer) para curtir um belíssimo pôr do sol e depois ir acompanhando o acender das luzes pela cidade. Foi o jantar mais caro de nossa viagem mas, a experiência foi inesquecível!

IMG-0637
Restaurante Giratório Top Of Vancouver: para ocasiões especiais, locais especiais!

2 ideias sobre “ROTEIRO: 3 DIAS EM VANCOUVER

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *