Última atualização:

VISITA ÁS VINÍCOLAS DE MENDOZA

Categorias América do Sul

Primeiro dia em Mendoza:

Apesar da distância entre Santiago e Mendoza ser de apenas 360 km numa estrada com paisagens cinematográficas cortando a Cordilheira dos Andres, optamos por fazer esse trecho de avião por causa da neve que já estava começando a dar os ares da graça. Saímos de Santiago ás 9:15 min e uma hora depois desembarcávamos em Mendoza onde passaríamos nossos próximos dias.

Fizemos check in no hotel e fomos começar a explorar a cidade. Pegamos um ônibus turístico ( hop on hop off ) para ter uma primeira impressão da cidade. Era começo de Junho e a cidade estava relativamente vazia e muito, muito fria. O tour dura mais ou menos uma hora e achamos melhor não descer em nenhum dos pontos pois, não nos chamou tanta atenção.

Nosso foco  em  Mendoza era visitar vinícolas que ficam nos arredores da cidade. Foi dificílimo escolher qual visitaríamos. Estudamos o mapa das vinícolas  para ver quais ficariam mais próximas umas das outras, lemos avaliações de várias delas no Tripadvisor, pesquisamos em diversos blogs e sites. Escolher apenas três era um pecado: queríamos ir em todas!  Optamos então pela Pulenta State,  Catena Zapata e visita com almoço na Ruca Malen, todas na região de Lujan de Cuyo.

 

  Não dá pra fazer esse tour e dirigir então alugar carro estava fora de nossos planos e como os pacotes vendidos por agência não há como escolher as vinícolas a serem visitadas, nos restou contratar um motorista particular que lá são chamados de remis.  Dois meses antes fizemos contato alguns deles mas, como estávamos um pouco inseguros por nunca termos contratado esse tipo serviço, preferimos deixar para resolver quando estivéssemos na cidade. Fomos, então, buscar indicações de remis já que nossas visitas às vinícolas já estavam agendadas para o dia seguinte.  O hotel que estávamos nos indicou alguns, porém nenhum estava disponível. Por sorte, um dos motoristas que havíamos iniciado negociação ainda no Brasil tinha disponibilidade para o dia seguinte! Tudo agendado só nos restava brindar o primeiro dia na cidade. E lá fomos nós conhecer o famoso restaurante Azafran!

GWQK4729
Belíssima adega do restaurante Azafrán

Azafrán foi um dos restaurantes que nos chamou bastante atenção por suas excelentes avaliações no Tripadvisor. Reservamos com mais ou menos um mês de antecedência: o restaurante é pequeno e bem concorrido e não queríamos correr o risco. O restaurante não tem carta de vinhos e sim uma charmosa cava onde um sommelier nos ajuda a escolher nosso vinho.

O restaurante tem um ambiente muito aconchegante. Ambientado como se fosse um antigo armazém de cidade de interior repleto de prateleiras expondo desde cervejas, patês, panelas de cobre a carnes curadas e especiarias como alho e ervas. Seu enfoque é a cozinha argentina, reinventada, privilegiando os produtos de Mendoza. A comida é excelente ( esquecemos de tirar fotos rsrs) e os preços não extrapolam aos valores cobrados em restaurantes desse nível.

 

IMG_2198
Aconchego e excelente comida no Azafrán

Mas o que nos chamou atenção no restaurante foi a quantidade de brasileiros: só ouvíamos português! Nos sentimos de novo no Brasil!

Segundo Dia:  A tão esperada visita nas bodegas mendocinas!

012
A caminho das vinícolas.

 

O motorista nos pegou ás 09:00 hs no hotel e fomos direto para a primeira visita que estava agendada:  Pulenta State. No site  da vinícola há várias opções de tour que achamos muito interessantes como a degustação  sensorial, piquenique e passeios pelos vinhedos além do tradicional tour com degustação. Optamos pelo tour tradicional afinal, eram apenas 10:00 da manhã e essa era apenas a primeira visita do dia.

 

IMG_2013
Degustação de vinhos tintos.

 

Adoramos os vinhos degustados e indicamos o tour para aqueles que já conhecem um pouco sobre o processo de vinificação e queiram apenas degustar os vinhos e passear pela vinícola.  O tour durou em torno de uma hora e meia e há opção de tour em espanhol e inglês.

Nossa ideia era visitar, em seguida a Catena Zapata, uma das mais procuradas por brasileiros e mundialmente reconhecida. Mandamos vários e-mails antes da viagem solicitando reserva de tour, mas nenhum foi respondido. O nosso motorista fez contato mas, infelizmente não havia vaga para aquele dia. Aí, ele nos levou para a Matervini que foi uma grata surpresa.

A Matervini, uma parceria do enólogo Santiago Achával ( da Bodega Achaval-Ferrer) com o italiano Roberto Cipresso, é uma vinícola relativamente nova em Mendoza – criada em 2008-  fica em um moderno prédio de madeira e vidro o que te permite fazer a degustação e apreciar a Cordilheira dos Andes ao fundo. Seus vinhos não são exportados e as únicas formas de adquirí-los são através do wine club da empresa ou comprando na própria vinícola.

Conhecemos o prédio e depois fizemos a degustação de 4 vinhos, todos eles deliciosos. A visita durou pouco mais de uma hora e foi bem reservada porque havia apenas mais um casal de brasileiros. O ambiente da sala de degustação é muito aconchegante e a vista é de tirar o fôlego!

IMG_2202 bodega martervini
Os quatro vinhos degustados na Matervini com os vinhedos emoldurados pelos Andes ao fundo.

 

Visita finalizada e nível alcoólico bem já elevado, lá fomos nós para a última visita do dia com direito a almoço na Bodega Ruca Malen para o  qual já havíamos feito reserva antes de sair do Brasil.  Foi uma visita muito especial e por isso merece um post só para ela. Aguardem o próximo!

XBGR3926

0 ideia sobre “VISITA ÁS VINÍCOLAS DE MENDOZA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *